História da Família

“Amo a luta com vertigem. Gosto das dificuldades que desafiam a minha atividade. Sou fanático dos grandes obstáculos que exigem esforços supremos. O imprevisto me deslumbra e a necessidade das grandes ocasiões me fascina”. João Pinheiro, em quadro em seu gabinete quando à frente do governo de Minas Gerais.

Cronologia – João Pinheiro

  • 1860 – Nasce no Serro (MG), filho do italiano Giuseppe Pignataro. Como outros imigrantes, seu pai “abrasileirou” o nome, passando a se chamar José Pinheiro da Silva.
  • 1883 – Muda-se para São Paulo e vai estudar na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco.
  • 1885 – Para ajudar a custear seus estudos, torna-se professor da Escola Normal de São Paulo, onde conhece Helena de Barros, sua futura esposa.
  • 1888 – Proclamação da Lei Áurea. João Pinheiro, depois de formado, estabelece-se em Ouro Preto, onde começa a advogar e torna-se um dos fundadores do jornal “O Movimento” e do Partido Republicano em Minas Gerais.
  • 1889 – Em 15 de novembro é proclamada a República. João Pinheiro assume interinamente, por seis meses, a presidência do Estado de Minas Gerais.
  • 1890 – Representa os mineiros na Assembléia Nacional Constituinte, que vai redigir a primeira Constituição da República. Casa-se com Helena de Barros.
  • 1893 – Decide retirar-se da vida pública e vai morar em Caeté, onde compra um solar e uma fábrica de cerâmica: “Cerâmica Nacional”.
  • 1894 – Começa a funcionar a cerâmica fundada por João Pinheiro.
  • 1903 – Preside o Congresso Agrícola, Industrial e Comercial em Belo Horizonte, onde sua análise da crise econômica e suas idéias inovadoras ganham repercussão no Estado.
  • 1904/05 – É indicado e eleito para o Senado Federal, retornando à vida pública e afastando-se da cerâmica, onde havia feito grandes investimentos naquele mesmo ano, graças a empréstimo conseguido junto ao Banco de Crédito Real.
  • 1906 – É eleito e toma posse como Governador de Minas Gerais. Procura pôr em prática sua crença de que “as formas de Governo são um meio de realizar a felicidade pública.” Luta pelo crescimento econômico como forma de alcançar a estabilidade política e a justiça social. Suas idéias tornam-se um dos fundamentos do projeto político que, a partir dos anos 1950, seria conhecido como “desenvolvimentismo”.
  • 1908 – Morre aos 47 anos, no auge da carreira, já considerado um dos grandes nomes da política nacional.

Cronologia – Israel Pinheiro da Silva

Ele me importa e me impressiona como o grande homem… Dizia o poeta que o gênio é o que acompanha a natureza. Assim foi Israel Pinheiro. Força da natureza, ele ventava, chovia, trovejava, relampejava.
Nelson Rodrigues em O Globo, 7 de julho de 1973

  • 1896 – Nasce em Caeté, Minas Gerais, em 4 de janeiro, Israel Pinheiro da Silva, quinto dos 12 filhos de João Pinheiro da Silva e Helena de Barros.
  • 1906 – Com a posse do pai no governo do Estado de Minas Gerais, muda-se com a família para o Palácio da Liberdade, e começa a estudar no Ginásio Mineiro, à Rua da Bahia.
  • 1908 – Morre seu pai, João Pinheiro, aos 47 anos de idade, enquanto exercia o cargo de governador do Estado. A família passa por dificuldades, uma vez que a fábrica de cerâmica encontrava-se endividada. Os amigos de João mobilizaram-se para construir uma casa via subscrição pública e doando-a à viúva do falecido, em avenida próxima ao Palácio da Liberdade, hoje chamada João Pinheiro.
  • 1909 – Matricula-se como aluno interno no Colégio Preparatório Santo Estanislau, atual Colégio Anchieta, dos padres jesuítas, em Nova Friburgo (RJ), onde permaneceu até o final de 1911, contando para isso com a ajuda de Luis de Vasconcelos, amigo da família que lhe ofereceu o custeio dos estudos, inclusive o superior.
  • 1912 – Passa no exame para a Escola de Minas, em Ouro Preto, onde realiza seus estudos superiores.
  • 1919/20 – Formado em Engenharia de Minas, Metalurgia e Civil pela Escola de Minas de Ouro Preto, viaja à Europa, prêmio de melhor aluno durante todo o curso.
  • 1922/23 – Elege-se vereador em Caeté e é nomeado agente executivo (equivalente a Prefeito) da cidade. Assume a direção da cerâmica da família.
  • 1924 – Casa-se com Coracy de Mendonça Uchôa, filha de um médico alagoano.
  • 1925 – Perde seu irmão mais novo, José Pinheiro, vitimado pelo tifo na capital federal, onde estudava Belas Artes.
  • 1933 – É escolhido secretário de Agricultura de Minas Gerais pelo interventor Benedito Valadares. Elabora um plano de desenvolvimento cujos pontos principais são a agricultura e os transportes. Participa da criação da cidade industrial de Contagem, dando continuidade aos sonhos do pai, um entusiasta do planejamento e das iniciativas industriais.
  • 1941 – É escolhido por Getúlio Vargas para integrar a Comissão que discute acordos econômicos com o governo americano durante a Segunda Guerra Mundial.
  • 1942 – Cria e preside a Companhia Vale do Rio Doce – CVRD.
  • 1946 – É eleito deputado federal pelo Partido Social Democrata (PSD) de Benedito Valadares. Apresenta projetos na área econômica e, preocupado em interiorizar o desenvolvimento, luta pela transferência da capital para o Planalto Central. Apresenta emenda propondo a localização no próprio local onde depois se ergueu Brasília.
  • 1956 – JK o convida para presidir a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil, a Novacap, e Israel renuncia ao seu segundo mandato de deputado federal para aceitar o convite.
  • 1960 – Em três anos e seis meses a cidade fica pronta. Brasília é inaugurada em 21 de abril. Israel Pinheiro é seu primeiro prefeito.
  • 1966 – Eleito governador de Minas em pleno governo militar, pelo PSD. Ao tomar posse, acentua que as idéias de seu pai “permaneceram vivas e oportunas, constituindo verdadeiro evangelho republicano em que tenho buscado orientação segura e vigorosa inspiração.”
  • 1973 – Morre em Belo Horizonte, aos 77 anos.

 


Av. Getúlio Vargas, 1710, 10° e 11º andares – Funcionários
CEP 30112-021 – Belo Horizonte / MG
Tel.: +55 (31) 3282-8101